terça-feira, 21 de setembro de 2010

Do tempo em que os eletrodomésticos falavam

Carrie a Estranha, Louca Obsessão, O Iluminado, Conta Comigo, Um Sonho de Liberdade...
Em se tratando de excelentes obras literárias transformadas em também excelentes produções cinematográficas,  o autor e roteirista Stephen King é genial. Agora, quando o mesmo escreve uma obra e resolve dirigir o filme baseado nela... o demônio em pessoa começa a chorar de desespero e angústia. Êta filminho ruim!
É claro que estou me referindo, caríssimos, a "Maximum Overdrive" ("O Comboio do Terror", de 1986), única produção dirigida por Stephen King - agradeçam de joelhos por isso, pecadores!
Sintam só o arremedo de história: um cometa primo do Halley com habilidades muito parecidas com o meteoro dos Transformers passa rente à Terra. Como conseqüência, as máquinas do planeta são animadas, tornando-se conscientes e possuidoras de vontade assassina contra a humanidade.
O filme, estrelado por nosso amigo Emilio Estevez - presença constante nas Sessões da Tarde por muitos anos -, passa a ser uma sucessão de mortes ridículas causadas por eletrodomésticos homicidas.
Exemplos: a ponte levadiça da cena de abertura provoca uma terrível chuva de melancias contra os incautos motoristas, a máquina de fliperama hipnotizadora eletrocuta quem ousar encostar nela, o caixa eletrônico xinga os clientes de "asshole" - ou o popular "cuzão" em português claro (tá, ninguém morre nesse, mas é ridículo do mesmo modo) e, finalmente, a máquina de refrigerantes assassina.
Amigos leitores, tendo em conta vários filmes ruins de baixo orçamento e humor involuntário, essa é uma das cenas mais imbecis de todos os tempos em minha humilde opinião. Confiram logo abaixo:



Duas curiosidades: a dubladora original da Lisa Simpson atua nessa desgraça. A outra: adivinhem qual é a banda responsável pela música de "Maximum Overdrive" (cujo vilão principal é um caminhão com o rosto demente do Duende Verde, um terrível personagem de famosa editora de quadrinhos de super-heróis - a Disney)? AC/DC! É isso mesmo, acreditem! Abaixo um clipe tosco da música do filme, "Who made who", contendo mortes mais toscas ainda:





6 comentários:

  1. Até o AC/DC comete equívocos :)

    Repara que é o Stephen King no início? (sendo chamado de asshole pela ATM)

    ResponderExcluir
  2. Sim, Manso! A desgraça é completa: ele escreve, dirige, produz, atua... é uma autêntica merdalhança autoral!

    ResponderExcluir
  3. Ahhhh Porra! Esse filme é fodaralho para caramba!

    E AC/DC é MEGALOVAX FODA PARA CACETE também!

    AHHHHHHHHHHH PORRA

    Vamos fazer um Podtrash sobre esse filme!

    ResponderExcluir
  4. Podtrash Maximum Overdrive? Topo!!

    ResponderExcluir
  5. Ha! Já adicionei em nosso cronograma lá no Google Docs.

    BTW, como filmaços baseados em Stephen King faltaram dois muito bons em sua introdução em minha humilde opinião fecal:

    - Green Mile (com o Tom Hnaks); e
    - Christine (que pode ser um futuro episódio Podtrash também).

    ResponderExcluir
  6. Green Mile: Foda!!
    Christine e Maximum Overdrive: Destino: Podtrash!!

    ResponderExcluir